Trabalho na adolescência: aprecie com moderação

imagem

Foto ilustrativa

O início da carreira profissional é um marco na vida de todos e muitos preferem dar a partida bem cedo. O trabalho na adolescência pode ser um ótimo crescimento e amadurecimento, mas tudo tem que ser feito sem excessos e de forma que não prejudique os estudos, mantendo esse sempre em primeiro lugar.

A independência de começar a lidar com seu próprio dinheiro é a principal motivação dos jovens para entrar no mercado de trabalho, mas é importante procurar por empresas que valorizam a lei e ofereçam um ambiente apropriado.

Entre 14 e 24 anos a função é considerada como Jovem Aprendiz, que exige a criança matriculada em uma instituição de ensino, pública ou privada, e ainda em uma escola técnica vinculada com a unidade que oferece o emprego. Pela Lei da Aprendizagem toda empresa de médio ou grande porte deve ter entre seus funcionários de 5% a 15% de jovens aprendizes. A lei ainda traz restrições como não ser permitido o trabalho noturno, perigoso, penoso ou insalubre, e realizado em locais e horários que não permita a presença na escola normalmente.

A partir dos 18 anos, o adolescente já pode ingressar no mercado de trabalho definitivamente, em qualquer cargo e sem restrições, mas ainda é importante priorizar os estudos e a juventude.

O Centro Social de Votuporanga oferece o Programa de Aprendizagem, atendendo cerca de 130 adolescentes por mês, com ações voltadas à convivência e fortalecimento de vínculos, integração ao mundo do trabalho e a garantia dos direitos trabalhista e previdenciário, tudo adequado para a idade dos adolescentes.

Todo o processo de adaptação nessa nova fase na vida do adolescente deve ser acompanhada para que seja uma experiência positiva e com moderação. Conte com o Centro Social para isso!

Anúncios

DICAS PARA SABER QUAL PROFISSÃO SEGUIR

Escolher a profissão que pretendemos exercer quando atingir a idade de prestar o vestibular não é tarefa fácil, embora para alguns jovens seja. Mas, caso você também se encontre nessa encruzilhada, trouxemos 10 dicas que podem ser a sua luz no fim do túnel. Vem saber o que você será quando crescer!

shutterstock_167617244.jpg

Imagem ilustrativa

1 – Quem decide é você

Cuidado para não ser influenciado por parentes e amigos. É o seu futuro que está em jogo, então quem tem que tomar essa decisão é apenas você, mas nada te impede de ouvir opiniões e conselhos de pessoas mais próximas.

 

2 – Sua decisão não precisa ser permanente

Acalme-se, decidir a sua profissão não significa que depois terá que seguir este caminho para sempre. Se quiser, poderá mudar de rumo sim. É muito comum adotar carreira diferente depois de formado.

 

3 – Do que mais gosta?

Autoconhecimento é fundamental para fazer uma escolha sensata. Algumas habilidades são possíveis de serem desenvolvidas, mas tem aquelas que já são vocação. Por isso, é muito importante que você saiba do que gosta. Comece fazendo uma lista com as matérias que mais se identifica, passatempos e assuntos de interesse.

 

4 – O que você faz bem?

É possível que você faça coisas rotineiras e seja muito bom nisso, por exemplo ser ótimo ouvinte, tenha facilidade com os números ou ainda saiba encontrar soluções criativas. Liste todas as suas habilidades, em caso de dúvida pergunte às pessoas próximas.

 

5 – Seu tipo de personalidade

Você é tímido ou extrovertido? Gosta de planejar tudo e repassar os detalhes ou prefere improvisar? Sente-se bem trabalhando sozinho ou em grupo? Liste os traços marcantes da sua personalidade.

 

6 – Faça um teste vocacional

Depois de ter refletido e listado sobre os seus gostos, habilidades e personalidade, chegou o momento de fazer o teste vocacional. Dentre as opções que existem, alguns vão dar a ideia da área de conhecimento de acordo com suas afinidades, outros apresentam várias opções de carreiras possíveis. É importante destacar que o teste é apenas para te dar algumas dicas dos campos de atuação que mais tem a ver com você, mas não é nada definitivo.

 

7 – Que tal uma orientação vocacional?

A orientação vocacional é um método desenvolvido por profissionais especializados em psicologia, capazes de guiar o estudante ou profissional em períodos de escolha ou mudança de carreira. Pode ser feita individualmente ou em grupo.

 

8 – Pesquise sobre as profissões que mais te interessam

Investigue sobre a carreira que pretende seguir, o tipo de curso que precisará fazer (bacharelado, licenciatura, tecnológico), como está o mercado de trabalho (favorável, saturado, estável), quais as opções de atuação, as empresas que mais contratam este profissional, onde estão as melhores vagas, etc.

 

9 – Converse com profissionais da área

Vale a pena bater um papo com alguns profissionais que estão atuando no mercado de trabalho, com isso você saberá sobre os aspectos positivos e desafios daquela carreira. Caso não consiga falar pessoalmente leia reportagens e assista vídeos sobre o tema.

 

10 – Visite faculdades

Uma boa forma de descobrir sobre a carreira que você pretende seguir é ver de perto faculdades que oferecem o curso. Entenda a metodologia do curso e quais os principais desafios. Converse com o coordenador do curso, professores e alunos, isso vai te ajudar imensamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Centro Social comemora conclusão de projetos sobre expressão corporal

DSC_0782

Este mês de dezembro começou muito animado no Centro Social de Votuporanga. A instituição, através de uma festividade, finalizou o Projeto Movimento Vida de Votuporanga e o Movimento Vida de Simonsen.

Financiados pela Campanha Leão Amigo da Criança do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), os projetos aconteceram com os Grupo Bem Viver I (Votuporanga) e Bem Viver II (Simonsen), desenvolvido de julho a dezembro de 2017.

Segundo Juliana Maurício, coordenadora dos projetos, a comemoração reuniu as crianças, os adolescentes, seus pais e colaboradores do Centro Social. Todos puderam contemplar coreografias de danças apresentadas pelos atendidos dos projetos.

A proposta do Movimento Vida foi incentivar a expressão corporal dos atendidos para que eles demonstrassem, por meio dela, os seus anseios, interesses, necessidades, demandas e posicionamentos como cidadãos de direitos.

No decorrer das práticas, os atendidos tiveram um papel fundamental no planejamento das ações, organização de eventos e apresentações. Com isso, eles aprenderam a pensar antes e durante os atos de forma conjunta, dinâmica, contínua, coerente, realista e, principalmente, participativa.

“Os Projetos Movimento Vida – Votuporanga e Simonsen – tiveram como objetivo promover atividades atrativas que envolvessem a expressão corporal contribuindo de forma significativa para socialização, auxiliando na formação de cidadãos comprometidos com a transformação social, efetivando o protagonismo infantojuvenil”, finalizou Juliana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

48 Anos de Centro Social

foto-02

O final do mês de novembro para o Centro Social simboliza aniversário e, como toda festa, muita animação. Na tarde desta terça-feira (28), a instituição juntou sua turma que inclui colaboradores, diretoria, atendidos e famílias, voluntários, parceiros e autoridades; para celebrar 48 anos de existência, colaborando com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Fundado em 28 de novembro de 1969, pelo Frei Cirilo Maria de Piracicaba, o Centro Social é uma entidade sem fins lucrativos, que tem o objetivo de atender, defender e garantir os direitos da criança, do adolescente, do jovem e suas famílias. Tudo isso acontece por meio de ações socioassistenciais que promovem a integração e qualificação dessas pessoas para a inclusão no mercado de trabalho.

A programação deste aniversário contou com apresentações desenvolvidas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Os adolescentes do grupo Bem viver I deram um show, cantaram em apenas uma música várias canções de ritmos e estilos diferentes, todas as letras tratavam de questões sociais.

“Essa apresentação foi resultado da Oficina de Multi Artes, que os atendidos tiveram no decorrer do ano. O contato com a música teve o objetivo de ampliar o conhecimento cultural, crítico e social dos adolescentes”, explicou Camila Santana, gerente do Centro Social.

Também fez parte da festividade o encerramento do Projeto Conexão Jovem – Projeto Voluntários BB FIA 2015, parceria da instituição com o Banco do Brasil, através  do  Conselho  Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), do município de Votuporanga. O Conexão Jovem possibilitou, aos adolescentes atendidos no SCFV, desenvolver potencialidades através da comunicação e inclusão digital.

A comemoração foi finalizada com a entrega das, cerca de 1.500, garrafas PET contendo lacres de alumínio. A arrecadação é da Campanha Lacre Amigo que o Centro Social, juntamente com as escolas da cidade e a população, arrecadou em prol do Hospital do Amor (Hospital de Câncer de Barretos).

“São 48 anos de uma linda história de amor, feita de muitas histórias… É como nós usamos nossa frase: Centro Social – Projetos que transformam vidas! Só temos que agradecer a todos que contribuíram com este resultado”, finalizou Bader Lorente, diretora do Centro Social.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em parceria com o Cras Leste, Centro Social realiza festa de Halloween em Simonsen

1

O Halloween do Grupo Bem Viver II aconteceu nesta segunda (30), no Centro Comunitário de Simonsen. A realização da atividade foi através da parceria realizada entre o Centro Social de Votuporanga e o Cras Leste, que juntos conseguiram fazer a integração entre crianças, adolescentes, família e a comunidade.

Segundo Juliana Mauricio coordenadora do Grupo Bem Viver II de Simonsen, a ideia da festa foi um pedido das crianças e adolescentes atendidos. “Eles pesquisaram sobre o tema, participaram da organização e produção da festa. Até construíram suas próprias fantasias com tecidos, e usaram toda criatividade que eles possuem.”

E não foram só as crianças e adolescentes que vestirem as fantasias, todos que participaram da festa foram fantasiados, desde as famílias, comunidade e os orientadores.

A noite do Halloween do Grupo Bem Viver II além da decoração temática, contou com DJ que tocou muitas músicas atendendo todos os estilos musicais. Não faltaram atrações, entre elas dança, escultura de balões e pintura facial. Durante a festa foram distribuídos salgadinhos, cachorro quente, refrigerante, bolo, sorvete, pipoca e algodão-doce.

“Nosso objetivo é o fortalecimento do vínculo afetivo, envolver a comunidade, e principalmente fazer um trabalho que as crianças e adolescentes sejam os protagonistas”, finalizou Juliana.

 

Centro Social tem Certificado Concedido

21167858_1561239237232164_8773623974742733885_o

O Centro Social de Votuporanga é uma entidade do município empenhada na formação e integração de jovens e adultos no mercado de trabalho.

No mês de setembro, a instituição recebeu a renovação do CEBAS (Certificação de Entidades de Assistência Social) que é concedido para as entidades por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

O objetivo do certificado é a isenção de impostos e a criação de possibilidade de parcerias com o Governo Estadual e Federal para dar continuidade aos trabalhos desenvolvidos na entidade.

A boa notícia foi motivo de comemoração por todos e a administração agradeceu aos atendidos, funcionários, diretores, parceiros, voluntários, comunidade e aos poderes executivo e legislativo.

Não era para menos, afinal são 48 anos construindo essa história que transforma a vida de mais de 500 crianças, adolescentes, jovens e adultos direta ou indiretamente.

O que é a Certificação de Entidades de Assistência Social – CEBAS?

É a certificação concedida às entidades que atuam nas áreas da assistência social, saúde ou educação, possibilitando usufruir da isenção de contribuições para a seguridade social e a celebração de parcerias com o poder público, desde que atendam aos requisitos dispostos na Lei nº 12.101/2009.

Centro Social encerra 1º Ciclo de Palestras com êxito

Autoridades políticas e profissionais participaram da programação

Entre os dias 15 e 18 de setembro, o Centro Social de Votuporanga realizou o I Ciclo de Palestras para os adolescentes e jovens atendidos pelo Programa de Aprendizagem e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da instituição. Com temas como cidadania, sociedade, política e juventude, as atividades estimularam a reflexão e o pensamento crítico para o exercício da cidadania.

O atual prefeito de Votuporanga, João Dado, foi o responsável por abrir o Ciclo com um bate-papo aberto e descontraído com os adolescentes do programa. Na ocasião, esteve presente a primeira dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Mônica de Carvalho.

O deputado estadual Carlão Pignatari também passou pela instituição e abordou temas como empreendedorismo, protagonismo juvenil e a importância da busca pelo conhecimento para se tornar um cidadão autônomo. Ele contou também sobre sua experiência, os desafios e conquistas enquanto prefeito do município de Votuporanga durante dois mandatos e em sua atual função enquanto deputado.

Experiências, desafios e conquistas na atividade empreendedora foram os assuntos abordados pelos empresários Valmir Dornelas e Juninho Marão. Temas que possibilitaram a construção da consciência crítica e da participação comunitária nos jovens.

Para falar sobre imagem profissional, Daniela Gallo Vilela Carrijo, gerente administrativa do empreendimento imobiliário Portal dos Lagos, e Carla Angélica Cândido, supervisora de hotelaria da Santa Casa de Votuporanga, palestraram sobre o comportamento para o mercado de trabalho. Dicas valiosas que os novos profissionais.

O diretor da Vikstar, unidade Votuporanga, Juliano Basílio Gonçalves também realizou um bate-papo com a juventude do Programa de Aprendizagem e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. A conversa foi pautada em sua história de vida, desafios e conquistas, incentivando a realização dos sonhos.

As atividade possibilitaram aos adolescentes o pleno exercício da cidadania por meio da reflexão crítica, participação social e política na sociedade. Momento inspiradores e mágicos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Direitos e deveres de ser cidadão

POST

O que é, em essência, exercer o papel de cidadão? Para responder essa questão, em primeiro lugar, é preciso entender o significado do termo cidadania, que é o conjunto de direitos e deveres exercidos por indivíduos que vivem em determinada sociedade.

Em referência aos deveres enfatiza-se o voto eleitoral (que igualmente é direito), o zelo pelo espaço público e o cumprimento das leis. Em relação aos direitos destaca-se o de ir e vir, assim como o de ter acesso à saúde, moradia, alimentação e educação.

Além disso, o conceito de cidadania está relacionado com a nacionalidade da pessoa, que admite a permanência dela naquele território administrado por um Estado Nacional. Em exemplo, tem-se a cidadania brasileira, portuguesa e, dentre muitas mais, a americana.

Caso o descumprimento aos deveres seja cometido, o indivíduo poderá perder, em partes, o exercício da cidadania. É o que acontece com os presidiários que, em meio a mais limitações impostas pela lei penal, possuem o direito de votar vetado.

A crítica acerca do tema “cidadão e o direito ao espaço” está na prática. Ou seja, não são todas as pessoas que acabam usufruindo dos direitos. Isso ocorre porque existem indivíduos que não dispõem de condições sociais, estruturais e materiais para realizar tal feito.

A questão para teóricos como Henri Lefebvre e Theodor Adorno é que em detrimento da desigualdade social muitos indivíduos ficam lesados – sobre direitos e deveres – e são excluídos socialmente. Como lidar com isso?

O primeiro passo é instruir-se para poder ter voz ativa dentro de uma sociedade na qual o capitalismo tenta transformar as pessoas em apenas usuários.

É preciso entender a cidadania para ser cidadão.

Centro Social – 47 anos contribuindo para uma Votuporanga melhor

O Centro Social de Votuporanga, entidade beneficente de Assistência Social, possui 47 anos de existência. A Entidade atende 500 pessoas, por meio de seus programas, projetos e serviços.

Para desenvolver as ações de atendimento, defesa e garantia de direitos à crianças, adolescentes, jovens e suas famílias, conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Votuporanga, Membros Diretores, Sócios-Contribuintes, Empresas, Voluntários, além da arrecadação obtida por meio de promoções e da Área Azul.

Faça-nos uma visita e conheça mais sobre nossa estrutura, organização e projetos!

Clique nas fotos para ver  a galeria.

Centro Social: educação para o trabalho, educação para a vida

20131030130049890064i

Vivemos no terceiro milênio e o modelo educacional tem passado por mudanças profundas. Mudou o conceito de família, de inclusão social e tantos outros modelos que vigoraram por séculos.

No mundo moderno, os pais agora precisam se preocupar com a formação técnica profissional de seus filhos, porém acabam se esquecendo de educá-los, esquecendo-se de ensiná-los sobre os comportamentos e atitudes adequados para cada situação.

O resultado disso é que, uma vez adultos, os jovens profissionais, embora competentes nas suas áreas de atuação, se mostram arrogantes, prepotentes e, o que é pior, sem educação, desconhecedores de hábitos tão importantes e comuns quanto o conhecimento: a gentileza, a humildade e a tolerância.

Não cumprimentam seus companheiros de trabalho, desrespeitam os subalternos, desprezam os mais experientes, preocupados apenas em seguir o “protocolo” profissional.

No Centro Social de Votuporanga, a orientação pedagógica aplicada junto aos nossos aprendizes é justamente esta: a de formar um bom profissional e um bom cidadão.

Nossos educandos aprendem que, embora cada ambiente profissional tenha suas regras próprias, alguns procedimentos são gerais, independente da cultura: apresentar-se adequadamente trajado, tratar a todos com educação e gentileza, pedir licença para retirar-se de uma reunião para atender a uma ligação telefônica quando isso for estritamente necessário (o correto é desligar o celular antes); ser receptivo aos pedidos de favor dos colegas de trabalho, enfim, ser totalmente contributivo ao ambiente profissional.

Os jovens descobrem que as pessoas educadas, via de regra, acabam se destacando, não por se apresentarem cheias de dedos ou fricotes, mas por serem mais agradáveis e fáceis de conviver. Aí, se juntar a essas qualidades a competência e a inteligência, está formado o colaborador mais eficiente de qualquer empresa, inclusive as grandes multinacionais, cada vez mais presentes no mercado brasileiro.

Como, infelizmente, grande parte de nossa clientela não recebe estes tipos de estímulos em casa, em que os pais não formam seus filhos para o trabalho, nossos educadores estão sempre atentos para levar em conta as relações que estes jovens estabelecem em suas famílias, nas escolas e, principalmente, as que vão estabelecer no mercado formal de trabalho e no trabalho assalariado. Isso implica ouvi-los e identificar as problemáticas da educação escolar, em contraste com a família e o mercado de trabalho; e também, tentar entender o que está obrigando muitos deles a deixarem a escola ou estudarem e trabalharem ao mesmo tempo.